Espectro Girl: Navinci, a Borboleta de Da Vinci

Por Dalila Godoy

Se começarmos falando por Navinci você provavelmente não vai conhecer, muito menos chamando ele por Minsung, talvez por Hansol, mas e se falarmos do garoto do grupo flop (termo para algo ou alguém desconhecido e fracassado) que fez uma live em 2017 falando sobre cometer suicídio enquanto chorava desesperadamente. Lembrou? Pois então, vamos falar do rapaz de ouro que infelizmente carrega uma imagem destruída sobre si.

Na dúvida de por onde começar, vamos do princípio. Em 15 de Junho de 1993 nascia uma criança, apenas mais uma, como nascem todos os dias; a diferença desta para as demais desse mesmo dia, mês e ano é que no dia 24 de outubro de 2013, ela estreou em um grupo sul coreano chamado Topp Dogg

Estreou com seu nome mesmo, Kim Hansol, junto com outros 12 rapazes no grupo principal e outros 4 na subunidade Underdogg (que infelizmente lançou apenas o single original da música Emotion e nunca mais deu sinal de vida, sequer o Topp Dogg G, a junção de ambas a unidades para promover mundialmente), e desde então sua carreira na indústria musical K-pop teve início.

Grupo Sul Coreano Topp Dogg

O primeiro mini álbum parecia prometer sucesso ao grupo, Dogg’s Out, com as músicas intituladas Cigarrete e Follow me, a ideia de um grupo que queria ganhar fama com um conceito inovador, com seus integrantes divididos em quatro grupos, Dragon (os líderes), Knight (os visuais), Lion (os rappers) e Wizard (os dançarinos, grupo do qual Hansol participava).

Pareceram decolar, o álbum AmadeuS chamou muita atenção por seu conceito de orquestra, e bem e mal em uma batalha harmoniosa, onde BJoo e Hansol eram os maestros de ambos respectivamente; logo veio o álbum Arario com seu conceito tradicional de música e vestimentas, quando lançaram o single Annie embarcaram em uma turnê e até vieram para o Brasil, isso em 2015, o grupo trabalhava sem parar, promoções e lançamentos um atrás do outro.

Topp Dogg em apresentação no Brasil (performance da música Annie)

O álbum The Beat começou a apresentar o que seria o fim do grupo, três integrantes saíram por insinuarem que em carreira solo fariam mais sucesso do que com o grupo, e ao final de 2016, no dia 06 de novembro, tivemos o último clipe com Rainy Day, também sem outro integrante que veio a ser expulso.

O grupo desapareceu do mapa, a empresa não dava sinal de vida para explicar o que estava acontecendo, e no dia 23 de Junho de 2017 finalmente recebemos uma notícia, mas não de uma boa forma.

Hansol estava fazendo uma live no Instagram, e os fãs, famintos por atualizações do grupo, foram de imediato conversar com o rapaz que, inicialmente, estava alegre e sorridente; subitamente sua expressão mudou e seus olhos se encheram de lágrimas, saiu da casa que estava e virou a câmera para rua movimentada, antes da live terminar ele já chorava e dizia o quanto desejava morrer, e que a velocidade daqueles carros poderia acabar consigo.

Um verdadeiro caos foi criado, pessoas que nunca ouviram falar do grupo começaram a banalizar o ocorrido, falando que se tratava apenas d um golpe de marketing para promover o grupo fracassado , outros diziam que ele queria atenção e deveríamos deixar que dissesse tais coisas, a situação não foi nem um pouco aceita, demorou horas até que um amigo de Hansol, Junmin, avisasse que finalmente tinha conseguido entrar em contato com o rapaz e que não precisávamos nos preocupar.

O rapaz tinha seu projeto Marykiko para histórias de dança que ele coreografava, dizia que o nome desse projeto era em homenagem ao relacionamento que ele tinha com sua irmã, que sempre o apoiou e, até onde se sabe, foi a que mais o ajudou nesse momento.

Não foi apenas uma live, mas várias lives relâmpagos que apareceram depois com tudo escuro e apenas o som dele chorando, em outras, coisas pesadas sendo faladas, ou até mesmo mostradas, mas era tão rápido que sequer dava tempo de entender o que acontecia.

Não satisfeito em criar o caos, em 19 de agosto de 2017 ele fazia uma live, mais uma live onde fãs entravam com a mão no coração, com medo de levar outra bomba, dessa vez ele apenas conversava enquanto parecia estar trabalhando em uma cafeteria, respondia o que lhe perguntavam, e quando questionaram sobre um dia ele se casar, o rapaz solta “Estive pensando, eu sou assexual. Eu não gosto de ninguém. Eu gosto de revistas em quadrinhos. Eu estou destinado a não me casar. Eu gosto de amigos e da minha família”.

Ser fã desse rapaz significa não ter um dia de paz, é passar o dia todo explicando para as pessoas que atacam ele que “não, ele não ‘tá tentando chamar atenção pro grupo dele, acha mesmo que ele iria queimar a reputação dele em um país conservador como a Coreia do Sul só para aparecer?”.

Como acabei de falar, nem um mísero dia de paz. Em 29 de setembro de 2017, pouco antes da empresa finalmente dar um parecer em relação ao Topp Dogg, três integrantes incluindo Hansol, postaram em suas redes sociais que estavam deixando o grupo, em seu Instagram pessoal ele anunciou sua saída em um enorme texto (atualmente o texto da imagem está modificado e bem mais curto).

Instagram Navinci

“Gente, tem alguma coisa estranha, a gente tá em paz?”. Não. Dia 23 de Dezembro de 2017, algumas semanas depois de quase infartarmos com um storie falando “Marykiko está morto” e os fãs novamente entrarem em colapso, após anunciar que tinha alterado legalmente seu nome de “Kim Hansol” para “Kim Minsung”, o rapaz dá o ar da graça com a seguinte postagem sobre um nascimento, um novo “ele” que estava nascendo naquele momento, agora trabalhando na 1997 dance studio.

O nome dele agora é Navinci.

Este nome é composto por “Borboleta + Leonardo da Vinci” e significa “Farei uma bela pintura com borboletas”. (…)”

Finalmente uma explicação! Marykiko morreu junto com Hansol e com o Topp Dogg, agora Minsung estava se reinventando conosco, suas borboletas e com a nova academia de dança onde era professor e é até hoje; Em 30 de janeiro de 2018 postou um curta metragem, “Glass mask story”, junto de Jiwon, seu ex-colega de empresa.

Navinci (Borboleta + Leonardo Da Vinci)

Em 05 de março de 2018 anunciou entrar em um grupo de dançarinos, o Newest-Girlist, com mais um rapaz e duas garotas.

A energia começou a melhorar, estava recuperando sua felicidade e disposição de 2013 e fazendo cada vez mais projetos e se dedicando aos seus alunos ao máximo, tanto que seu Instagram é repleto de vídeos com eles treinando juntos, mas vira e mexe, ainda posta alguns textos sutis e suspeitos que são editados horas depois, deixando todos os seguidores com cara de palhaço por pensar que iam descobrir algo.

Algo que preciso comentar é sobre agosto de 2019, quando Navinci veio ao Brasil fazer Workshops com suas coreografias em Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo, visto que esse último foi o único a receber workshop, Fansign, Fanmeeting e selfie, sem contar o after party que eu tive o prazer de poder participar. O rapaz é alguém realmente bom para passar um tempo jogando conversa fora, brincamos sobre diversos assuntos e mesmo tendo saído há poucas horas do hospital (veio a passar mal no segundo dia de evento por causa da mudança climática e chegou a ser hospitalizado antes do evento) ele conversava e brincava, até mesmo assustando quando gritava do nada para rir de algo.

Navinci, o rapaz que se expressa pela dança e quebra cada vez mais coisas que o proibiam pela carreira como K-idol.

_____________________________________________

Navinci e Espectro Girl

Espectro Girl se tornou fã de Navinci e desde então nunca mais teve um dia de paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *