Espectro Girl: Jibaku shounen Hanako-kun, prendendo sua alma com um fantasma.

“Diz-se que, se você for ao banheiro feminino, bater três vezes na porta, e disser, ‘Hanako-san, Hanako-san, você está aí?’, você irá conjurar o sétimo espírito da escola. Quando ele aparecer, você poderá fazer-lhe um pedido, qualquer pedido, e este lhe será concedido – no entanto, o preço a ser pago será de equivalente valor ao que lhe for dado.”

Yashiro Nene, uma garota do primeiro ano, que aos seus 15/16 anos se vê deprimida por não ter um par romântico por culpa de suas “perninhas de rabanete”, e sua grande amiga Akane Aoi decide lhe contar sobre um dos sete mistérios que rondam o colégio, Hanako-san do banheiro feminino.

Todo boato pode ser uma esperança, não? Nene vai determinada até o banheiro e chama pela Hanako-san, teoricamente uma garota de saia vermelha e cabelos compridos, mas um rapaz com vestes escuras aparece atrás de si, lhe pregando um susto. E então, nossa jornada começa! Bom, quero dizer, começa depois de Nene ser um pouquinho birrenta em uma discussão com Hanako, e logo em seguida virando um peixe. Um peixe, isso mesmo. E para voltar ao normal, precisou fazer o pedido para o fantasma, que como pagamento fez ambos ficarem com as almas ligadas, mas isso não impediu que toda vez que a garota se molhasse por completo, voltasse a ser um peixinho.

Yashiro Nene, uma peixinha.

Agora que Nene está atrelada com um fantasma, pobrezinha, todos os outros mistérios do colégio se tornam uma dor de cabeça para a garota, e pior, um garoto de uma família de exorcistas também aparece em seu caminho e começa a encher o seu saco, a garota nem para perceber que o rapaz é o irmão mais novo do garoto que ela tem um crush. Minamoto Kou, irmão mais novo de Minamoto Teru, realmente é difícil entender como ela não reconheceu.

Como sabemos, os fantasmas costumam nascer por meio de rumores, passados de boca em boca, de geração em geração, e aos poucos essas histórias vão ganhando características, formas, e o mais importante, poder. Logo no início nos deparamos com “as fadas”, que roubam a suas coisas sem que você perceba, e caso você encare uma, você morre de uma forma horrenda. Um boato cruel, forte e poderoso. E como nossa protagonista tem aquele pezinho na boa sorte, ela se deparou com uma dessas fadas, mas graças ao Hanako descobriu que elas não são aquelas criaturas horrendas, e sim pequenos coelhinhos carinhosos, os mokkes, eles só tem aquele comportamento e forma por causa dos boatos, e Nene foi encarregada de limpar a ficha dos pequeninos.

Para se tornar um fantasma o elemento X da equação é estar morto, então para nós, obviamente Hanako está morto, e com aquele ar de comédia e alivio que ele nos passa, acabamos esquecendo que sua morte é desconhecida e ele matou alguém antes de morrer, são em momentos súbitos que ele pega sua faca de cozinha e nos lembra que por trás de tudo ele é um assassino e o mistério escolar mais poderoso.

Página do Manga

Considerado um dos melhores, senão o melhor, anime da temporada de inverno, mesmo não concluído ainda e com seu mangá com o pé na reta final, ambos não deixam a desejar a momento algum, cada um tem sua importância e gostaria de marca-los aqui, e também dizer que é impossível que você não se apaixone por essa história.

A história contém muita comédia, tipo. muita comédia, minha barriga doía de tanto que eu ria com as burradas que esses dois faziam, a história foi carregada com um ar muito leve mesmo nos momentos sérios, e em determinados momentos já nos apegamos tanto aos personagens que esgotamos de tanto chorar por determinados acontecimentos que não vou revelar aqui e acabar totalmente com a graça de vocês.

O anime é repleto de cores chamativas, traços muito características e até mesmo infantilizados, as vozes combinam perfeitamente com cada personagem e o suspense cresce discretamente escondido atrás da comédia, quando você percebe seus ombros já estão tensionados e você está no próximo episódio com os dedos cruzados, uma sensação que se tem logo na abertura, cada corte relâmpago que acontece são cores novas e um suspense novo, são tão rápidos que você não tem tempo de absorver, e o melhor, a cada episódio a abertura muda com características novas do que você descobriu.

Nos primeiros episódios você passa a abertura batido, quando você presta a atenção no décimo episódio você simplesmente pausa, encara por um bom tempo, respira fundo, xinga com todo o seu vocabulário aquele detalhe que você não notou antes por não saber do que se tratava, e só então retoma o vídeo para ver o episódio. Um personagem que me deixa apaixonada no anime é o Mitsuba, assim como todos os demais personagens as cores refletem sobre quem ele é, mas com ele ficou simplesmente explicito e hipnotizante esse detalhe, é impossível ver o cabelo rosa e o cachecol listrado e não sentir o ar fofo e arrogante que ele transmite.

Contra Capa nº 5 ou Capítulo 21, seguindo a numeração

As cores, o principal chamativo em Jibaku shounen Hanako-kun, como falei é um marco importante e característico, ele segue fielmente a teoria das cores semelhante à teoria das cores de Breaking Bad, a composição foi muito bem pensada e serve para nos relembrar de forma indireta que estamos nos apegando ao fantasma, mas suas vestes escuras e olhos flamejantes nos servem para lembrar que estamos nos apegando a um fantasma de um assassino.

O mangá, simplesmente impecável que eu aplaudo de pé sem medo algum, seu investimento de cores apenas na capa e nas primeiras páginas, seu forte são os traços bonitos e característicos em cada página, em como as expressões ficam extremamente claras e marcantes, um arrepio a cada momento de tensão e uma batida falha a cada quase cagada dos nossos personagens principais.

Um detalhe que me chamou muito a atenção no mangá foram as imagens que aparecem após a capa, sabe aquelas coloridinhas que ficam lá para marcar presença e serem bonitas? Pois bem, até nisso Jibaku shounen Hanako-kun fez questão de mostrar que não veio para brincar nessa temporada de inverno que passou. Pequenos detalhes espirituais, cada elemento com seu significado simbólico ali, coisas que parecem apenas para serem bonitas escondendo algo sobre a história.

Sem dúvidas eu percebi isso de fato no capítulo 21 quando me deparei com essa capa, minutos atrás estava estudando elementos e espiritualidade, assim que acabei puxei o celular e abri o capítulo que iria começar a ler e me deparei com isso, passei batido, cinco segundos depois meu subconsciente me deu uma cutucada e sussurrou “ou, volta umas página ai, acho que vi uma coisa”.

Os quatro elementos, da esquerda para a direita e de cima para baixo, água, terra, fogo e ar sendo representados por seus respectivos personagens, em seus significados fieis e fazendo jus, isso simplesmente me fez admirar a imagem por alguns segundos antes de tirar um print e ir explicar para meu amigo o motivo de tais colocações, mesmo que ele não acompanhasse o mangá, somente o anime.

São muitos detalhes, ficaria enorme explicar cada um deles aqui, sem contar a onda de spoiler que iria acertar a cara de cada um, então espero que isso já tenha sido o suficiente para te convencer a ir acompanhar a obra de arte que é esse trabalho produzido por AiraIdo, Jibaku shounen Hanako-kun.

_____________________________________

Espectro Girl provavelmente se apaixonaria por um fantasma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *