Cosplay: Batgirl

Cosplayer: Marina Chao

Ela é cosplayer e atua junto com o grupo Heróis do Bem, considera muito importante que meninas tenham heroínas nas quais se espelharem, e já convenceu o seu pai a se vestir de Comissário Gordon para acompanha-la em uma foto com o Cosplay de Batgirl.

No bate papo a seguir, conversamos com Marina Chao sobre lutas com salto alto, um possível filme solo da Batgirl, e como o Cosplay se tornou parte importante de sua vida.

Ficha técnica:
  • Cosmaker que produziu o Cosplay: Na verdade, meus cosplays da Batgirl foram uma mistura, o que não conseguia fazer, eu tentava encontrar pela gringa ou pedia para algum cosmaker ou até para meu próprio irmão.
  • Preço do Cosplay: Devo já ter gastado em média uns 2 mil com todas as minhas versões durante esses 5 anos.
  • Tempo que demorou para ficar pronto: A mais demorada foi a de Arkham Knight, deve ter sido uns 2/3 meses até ficar do jeito que eu queria e ainda pretendo fazer aperfeiçoamentos no futuro.
  • Conselho para quem for fazer o cosplay: Creio que o melhor conselho que eu poderia dar para fazer qualquer cosplay é: faça aquilo que ama, se você gosta da personagem e sempre teve vontade de se caracterizar , dê vida a ela, no começo vai nos tropeços mesmo, mas o que importa é se divertir fazendo algo que ama.

Super Ninguém: A Batgirl da série do Batman dos anos 60, interpretada por Yvonne Craig, vestia um traje com saltos altos. Alicia Silverstone, que interpretou a personagem no desastroso “Batman e Robin” do recém falecido diretor Joel Schumaker, também usava saltos altos. Você acha que quem cria esses trajes tem alguma ideia do que é andar, correr ou lutar com salto alto?

Marina: Definitivamente não, hahahahaha, há tantas variáveis além do claro desconforto, como possíveis quedas, o salto quebrar durante uma luta. Eu amo a Batgirl do Renascimento usando coturno, é algo bem mais tático que de fato ajudaria numa situação de combate.

Super Ninguém: Além das já mencionadas versões para a TV e cinema, temos as versões dos quadrinhos. Em qual delas é inspirado o seu cosplay?

Marina: Tenho 3 versões diferentes da Batgirl: a do jogo Batman Arkham Knight, a do arco Rebirth dos quadrinhos e a mais recente dos novos 52 também dos quadrinhos.

Cosplay Batgirl: Marina Chao, trabalho voluntário com o grupo “Heróis do Bem”

Super Ninguém: Quando surgiu o interesse em fazer um cosplay da Batgirl?

Marina: Foi em meados de 2015 se não me engano, quando um grupo de amigos resolveu fazer um Photoshop de heróis. Eu tinha a viúva negra na época, porém de tanto que já tinha lido da batgirl resolvi improvisar uma para o shoot e acabou que me identifiquei bastante, gostei do resultado e então fui aperfeiçoando o cosplay, fazendo outras versões e 5 anos depois ainda tenho projetos futuros para minha personagem preferida.

Super Ninguém: Heroínas estão ganhando cada vez mais espaço no cinema; se antes tínhamos apenas a Viúva Negra como parte dos Vingadores, agora, já fizeram sua estreia nas telas, Mulher Maravilha, Capitã Marvel, e logo, quando essa pandemia acabar, a Viúva terá um filme só seu. Sem falar de Arlequina e as Aves de Rapina. O quão importante você acredita que é a influência dessas heroínas e seu protagonismo na formação das meninas?

Marina: Extremamente importante, elas se espelham nas qualidades das personagens, querem ser fortes como a mulher maravilha, espertas como a batgirl, entre outras diversas. E crescer se inspirando em grandes mulheres, mesmo sendo fictícias, é mágico para essas meninas.

Super Ninguém: Você acha que já seria possível sonharmos com um filme da Batgirl? Quem você escalaria para interpretá-la?

Marina: Sonhar sempre é bom, até acredito que seja possível sim ver um filme da Barbs, ainda mais depois do sucesso de Mulher maravilha, e eu estava esperando ver a introdução dela em aves de rapina, porém tiveram outras ideias e não vimos minha Gordon querida em um marco importante de sua história. E já que estamos falando sobre sonhar, posso me escolher para interpretá-la??!! Hahahhahah, já vi diversos nomes sendo citados para o papel e o que mais me agradou até o momento foi a Emma Stone devido a toda a sua experiência na indústria cinematográfica nos mais diversos gêneros.

Cosplay Superman: Guilherme Draghe / Cosplay Batgirl: Marina Chao

Super Ninguém: O seu namorado, o Superman (está aí um romance que ninguém imaginou, Batgirl e Superman), faz parte de um belíssimo trabalho voluntário com o grupo “Heróis do Bem”. Você também participa?

Marina: Felizmente também faço parte dessa família linda que é os Heróis do bem, e é incrível como pude transformar um hobby em algo tão significativo.

Super Ninguém: E qual é a sensação de ser uma heroína diante das crianças?

Marina: Toda vez que entramos no hospital trajados, o dia muda, é muito boa a energia que emana das crianças quando nos veem, até mesmo dos pais, médicos, faxineiros, recepcionistas, hospital todo nos recebe de braços abertos, como se fossemos de fato os heróis, então é uma grande responsabilidade estar ali de Batgirl e passar esperança para esses verdadeiros mini heróis.

Super Ninguém: Há uma foto sua, que nós aqui achamos sensacional, uma em que você copia uma imagem dos quadrinhos, onde o Gordon aparece apontando uma arma para a Batgirl. É o seu pai que está interpretando o Gordon? Foi difícil convence-lo a tirar a foto?

Marina: É meu pai na foto hahahaha; foi uma troca na verdade, ele queria que eu vestisse o traje pra mostra pros amigos e eu queria essa foto, então hahahahah mas isso é bem interessante inclusive, que quando comecei no cosplay ele não gostava, e atualmente percebeu o quanto posso fazer com o traje e não só gastar dinheiro para ir vestida em eventos.

Cosplay Batgirl: Marina Chao / Cosplay Comissário Gordon: Pai da Marina Chao.

Super Ninguém: De que história é essa cena?

Marina: Essa imagem é de um volume da Batgirl chamada Wanted dos novos 52, onde ela mata James Gordon Jr., seu próprio irmão, e o comissário Gordon, seu pai, que acabou presenciando a cena, persegue a heroína até o momento que ela se vê emboscada pelo comissário e precisa revelar sua identidade.

Super Ninguém: Além da Batgirl, quais outros cosplays você faz?

Marina: Faço a mulher maravilha, viúva negra, feiticeira escarlate, miss fortune do League of Legends, Jessica Rabbit e alguns outros que estão em processo de ajustes como Mara Jade, Claire Redfield, etc.

Super Ninguém: Qual a importância do universo cosplay em sua vida?

Marina: Levando em consideração o voluntariado e como também fiz tantos amigos no meio e ainda trabalho com eventos/aniversários, então posso afirmar que se tornou grande parte da minha vida.

Confira a seguir o vídeo do excelente Canal “A Batcaverna”, falando sobre a biografia da Batgirl.

Vídeo do Canal “A Batcaverna” sobre a Batgirl

____________________________________________

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *