The Boys – Segunda temporada, Ep. 01: “Uma Viagem e Tanto”

Por Fernando Fontana

O Capitão Pátria informa à você, patriota, que há spoilers no texto a seguir.

Senhoras e senhores, estamos de volta com a segunda temporada de uma das séries mais aguardadas dos últimos tempos, “The Boys”, baseada na obra que só poderia ter saído da mente doentia de Garth Ennis e grata surpresa que nos foi apresentada em 2019 pela Amazon Prime.

E ao contrário do que estamos acostumados a ver em tantas outras séries, o primeiro episódio da segunda temporada não chega pegando leve, já entrega logo de cara tudo o que fez da série um sucesso, Supers, violência em níveis absurdos e uma trama emocionante.

Começamos com uma reunião entre o governo e a Vought, empresa responsável pela criação dos Supers; em discussão os termos do contrato que permitirá o uso de super-heróis nas forças armadas e conflitos no exterior, em especial o combate aos super terroristas.

Giancarlo Esposito como Stan Edgar, o chefão da Vought em “The Boys”

Fica claro que a Vought tem total controle das negociações e é capaz de impor tudo aquilo que deseja, o que é natural, já que, como mencionado na primeira temporada pela falecida Madelyn Stillwell (Elizabeth Shue), a empresa é detentora das únicas “armas” capazes de fazer frente aos super terroristas.

É impressionante como Giancarlo Esposito, que já interpretou o frio Gustavo Fring em Breaking Bad, personifica com perfeição todo o poder que a Vought possui. Ele não tem super poderes, mas seu Stan Edgar intimida, e você sabe que ele é extremamente perigoso; o encontro entre ele e o Capitão Pátria (Antony Starr) demonstra isso com perfeição.

Finalmente os Sete decidem dar oficialmente um “fim” para Translúcido, que foi explodido por Hughie; seu funeral é um amontoado de mentiras, falso do começo ao fim, a forma como ele morreu, o sentimento de perda do Capitão Pátria, a canção emocionada de Luz-Estrela e o próprio caixão, onde o público supõe estar o seu corpo, mas que todos sabemos estar vazio, tudo montado para cativar a opinião pública.

A opinião pública é de fundamental importância para a Vought e os Supers, eles a temem muito mais do que as autoridades. É ela que Stan utiliza para intimidar o Capitão Pátria e manter o seu controle, e quando Profundo está passando dos limites em um bar, o atendente ameaça chamar o TMZ (site e programa de entretenimento) ao invés da polícia.

Profundo em “The Boys”

Profundo que, ao que tudo indica, seguirá sendo fonte de piadas e humor ácido. Após perceber que está oficialmente fora dos “Sete”, ele chega ao fundo do poço, arponta e vai parar na cadeia, e não é a Vought que paga sua fiança e sim “O Arqueiro Águia” (Langston Kerman), herói de Cleveland.

É genial, se na DC Comics um dos heróis que constantemente é motivo de piadas (ou pelo menos antes do filme com Jason Momoa) é o Aquaman, heróis com arco e flecha não ficam atrás.

O nome e o uniforme do Arqueiro são uma referência óbvia ao Gavião Arqueiro, herói da Marvel e membro dos Vingadores, e sua aliança com “Profundo” parece promissora.

Já o Capitão Pátria ainda é o super mais amado e poderoso da América e ele sabe disso; a série não demora a nos mostrar as razões porque aprendemos a odiá-lo, bastando para isso o encontro entre ele e Ponto Cego, candidato à membro dos Sete e também uma referência a um certo herói cego da Marvel.

Capitão Pátria no Funeral de Translúcido, mentiras do começo ao fim

Com a morte de Stillwell, o Capitão Pátria imediatamente imaginou que assumiria o controle de todas as decisões importantes ligadas aos “Sete”, mas terá como obstáculos, o já mencionado chefão Stan Edgar e a novata Tempesta (Aya Cash), cujos poderes e reais intenções ainda são um mistério.

Finalmente, o grupo que dá nome à série, Hughie, Francês, Leitinho da Mamãe e a fêmea, estão tentando basicamente sobreviver sem a presença de Billy Butcher, uma vez que estão entre os mais procurados pelas autoridades, na lista negra dos Sete, e sem qualquer apoio.

Hughie segue se encontrado com Luz-Estrela e ambos estão tentando encontrar uma maneira de conseguir uma amostra do Composto V, o que pode se tornar uma realidade através de um novo personagem inserido na trama, Lagartixa, um super que tem a capacidade de se regenerar (incluindo membros) e que a usa para ganhar a vida de uma forma, como vamos dizer, criativa.

Hughie não se cansa de ficar coberto de sangue em “The Boys”

Resumindo, “The Boys” entrega tudo o que os fãs estavam esperando e promete até mais do que isso, demonstrando que não pretende se conter quando se trata de mostrar o que realmente poderia acontecer em um mundo com super poderes.

Fica a dúvida de como homens comuns vivendo em situação precária, poderão enfrentar o poder conjunto de super seres com os bilhões de dólares da Vought.

Não sei como, mas vai ser divertido descobrir.

Trailer Legendado “The Boys” Segunda Temporada

_________________________________________________

Fernando Fontana é escritor e adulto amador, autor de “Deus, o diabo e os super-heróis no País da Corrupção” e da Graphic Novel “O Triste Destino da Namorada do Ultra-Homem”, é criador deste site e colaborador do Canal Metalinguagem, onde escreve sobre quadrinhos e filmes antigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *