Cosplayer: Lucca Petrucci

Lucca Petrucci é ator, não apenas já fez 25 versões de cosplay do Coringa, como interpretou o Príncipe Palhaço do Crime no Curta Metragem “Maníacos de Arkham”. No bate papo a seguir, conversamos sobre os melhores e piores interpretes do personagem, melhor história e por que o vilão atrai tanto o interesse até os dias de hoje.

Quanto tempo demorou para terminar o cosplay: Depende muito da versão do Coringa que eu desejo fazer.

Principais materiais utilizados: Tecidos para terno, pancake branco, tinta pra cabelo, batom (maquiagens em geral)

Preço do Cosplay: Vária de acordo com a versão.

O que mais deu trabalho para fazer: Encontrar tecido roxo em risca de giz.

Cosplay Coringa / Cosplayer Lucca Petrucci

Super Ninguém: O Coringa não apenas é considerado o maior inimigo do Batman, como por duas vezes deu um Oscar aos seus interpretes, postumamente para Heath Ledger e depois para Joaquin Phoenix. Por que você acha que o personagem gera tanto interesse nas pessoas?

Lucca: Eu vou responder o porque ele gerou interesse por mim; porque eu acho que cada pessoa tem o seu motivo, desde pequeno eu sempre fui apaixonado por palhaços, tanto que quando eu era criança, falava para a minha mãe que queria ser um quando crescesse. Ao ver o Coringa pela primeira vez, eu me encantei. Me apaixonei. Achei o personagem simplesmente incrível. Quando comecei a pesquisar mais sobre o vilão, vi o quanto sua história era rica. O fato de ser o ÚNICO vilão que o Batman não sabe a identidade; isso é sensacional. A relação dele com o Homem Morcego, todas as atrocidades que ele já cometeu, sem dúvida não é só o melhor vilão do Batman como também o melhor vilão já feito.      

Super Ninguém: Entre os muitos atores que encarnaram o Coringa no cinema, você seria capaz de escolher o melhor e o pior?        

Lucca: Com certeza o pior para mim foi o Jared Leto e eu não uso aquela desculpa de: “Poxa, mas ele teve pouco tempo de tela…”. Não, a escolha do ator foi horrível, a construção do personagem foi pior ainda e o visual apresentado… Bom… Sem palavras. 

Os melhores pra mim são o Heath Ledger e o Joaquin Phoenix. Atuações fantásticas. Coringas perfeitos.

Super Ninguém: Você mesmo já interpretou o Coringa no Curta Metragem “Maníacos de Arkham”, como foi a experiência e em quais “coringas” você se baseou para a sua atuação?

Lucca: Todos. Tentei pegar um pedacinho de cada Coringa já apresentado nos cinemas e até mesmo em seriados (Cameron Monaghan – Gotham) e criar algo original. Algo meu. E essa foi a verdadeira dificuldade que eu encontrei… Criar algo novo. Algo nunca visto. Algo que o Coringa ainda não tivesse feito.

Cosplay Coringa Joaquin Phoenix / Cosplayer Lucca Petrucci

Super Ninguém: Com o sucesso do Coringa de Phoenix nos cinemas, abriram-se portas para possíveis filmes de vilões da DC nos mesmos moldes. Você acha que poderia funcionar com outros vilões do Batman ou mesmo do Superman, como Luthor?

Lucca: O meu sonho é ver um filme solo do Pinguim baseado na revista: Dor e Preconceito. Se escreverem bem a história e escolherem um excelente ator para o papel, tenho certeza que teríamos um excelente filme.

Super Ninguém: Já nos quadrinhos, o personagem também marca presença em algumas das mais icônicas histórias do Homem Morcego, “Cavaleiro das Trevas” de Frank Miller, “Piada Mortal” de Alan Moore e “Morte em Família” de Jim Starlin estão entre elas. Qual seria a sua história preferida do Coringa e por que?

Lucca: “Piada Mortal”. Eu acho essa história perfeita. Zero defeitos. A maneira como ela é escrita. A relação do Batman com o Coringa. O que o Coringa faz com a Barbara Gordon e o Comissário… A piada que ele conta no final… Todas as analogias. Simplesmente uma história nota 10.


Outra que eu gosto bastante é o “Coringa” do Brian Azarello. A maneira que ela é narrada mostrando um Coringa mais realista, assim como os outros personagens que vão aparecendo na história. Mostrando como o vilão sai do Asilo Arkham sem NADA e no decorrer vai conquistando territórios, matando seus inimigos e conseguindo dinheiro. Acho sensacional.

Super Ninguém: Há uma história do Coringa chamada “Advogado do Diabo”, onde o vilão é acusado por um crime que não cometeu e condenado a cadeira elétrica. Batman faz de tudo para inocentá-lo, e é questionado tanto por Gordon, quanto pelo Robin, se não seria melhor deixa-lo morrer. Como você enxerga essa questão, o Batman poderia ou deveria matar o Coringa para evitar novas mortes?

Cosplay Coringa / Cosplayer Lucca Petrucci


Lucca: A verdadeira piada dessa história é justamente isso: O dia que o Coringa foi condenado a morte, foi por um crime que ele não cometeu e isso que torna o enredo tão inteligente… Mas respondendo a sua pergunta… Eu acho que se o Coringa morrer ou for morto… O Batman perde a sua essência. Um completa o outro. Um precisa do outro. Sem falar que o Coringa é um personagem MUITO amado… A sua morte provavelmente geraria revolta dos fãs (e eu estaria no meio reclamando. Kkkk).

Super Ninguém: Você já fez cosplay do Coringa em eventos? Como o público costuma reagir diante do Palhaço do Crime?

Lucca: É uma reação maravilhosa… Especialmente a das crianças. Sem dúvida é o que me deixa mais feliz… Quando uma criança vem correndo em sua direção e te abraça com muita força. Quando ela te olha com os olhos brilhando e acredita que está frente a frente com o Palhaço do Crime. São momentos lindos.

Super Ninguém: Além do cosplay do Coringa, você já fez outros? Quais?

Lucca: Charada, Duas Caras e Mascara Negra (Batman), Waluigi (Mario Bros), Robbie Rotten (Lazy Town), Conde Olaf (Desventuras em série) e o Dandy (American Horror Story) e claro… Mais de 25 versões do Príncipe Palhaço do Crime.

Super Ninguém: Por fim, qual a importância do universo Cosplay para você?

Lucca: Por ser ator, eu vejo o Cosplay como uma maneira de esquecer quem eu sou e viver 100% o personagem. É ter um estudo por trás. É fazer pesquisas, procurar conhecer o personagem (a maneira que ele fala, que ele anda, que ele age, as vestimentas, cabelo, maquiagem). É transformar sonhos em realidade. É fazer as crianças acreditarem que elas estão ali… Frente a frente com o Coringa, Charada, Batman, Superman, Homem Aranha… É uma coisa que eu amo fazer e me sinto bem, feliz fazendo… Doze anos já como cosplayer. Muita coisa para contar… Muita memória boa para recordar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *