Espectro Girl: A Onda Preto e Rosa

Por Espectro Girl

Você pode nunca ter escutado o nome do grupo, mas alguma música você já ouviu, e digo com certeza. Pode ter sido em alguma lojinha no centro da cidade, em alguma loja de eletrônicos no shopping, ou o melhor de todos, você as ouviu no Coachella com uma batida animada e olhos de origem leste asiática.

Não sabe de quem estou falando ainda? Estou falando do BlackPink, o grupo feminino de kpop que tem estourado cada vez mais.

Carregando músicas famosas como How You like that, Kill This Love e Du Ddu Du Ddu, o quarteto de garotas da YG Entertainment tem sido um fenômeno por todo o mundo, seu sucesso bomba desde a Ásia até a América do Sul, com seus shows arrecadando rios e rios de dinheiro, fazendo photobooks no decorrer do ano para lucrar ainda mais; a integrante Rose até mesmo chegou a usar o acessório mais caro já usada por um Kidol, segundo a notícia divulgada: “BLACKPINK Rosé se torna a Kpop idol que usou as joias mais caras de todos os tempos, seu colar de 885k USD da coleção de livros azuis da Tiffany&Co  blue book collection de alto valor.”

Escrevi errado não, a garota usou um colar que passou a valer 885k em DÓLARES devido a uma pedra a mais que ela adicionou na lateral do colar, uma pedra a mais de esmeralda de 10 quilates, assim, seu colar possuía um total de 45 quilates.

E ainda falando em preços, a integrante Jennie também está na lista de acessórios mais caros usados no Kpop, no MV (music vídeo) de How You Like That, seu colar custa 77,700 USD, feito a partir de 18k de ouro branco e trabalhado no diamante.

BlackPink no Coachella 2019

Mas, como um grupo de Kpop está estourando tanto assim mundialmente? Um grupo masculino seria mais fácil de compreender, mas agora, um feminino?

Bom, é mais fácil do que parece de se explicar, e não possui ligação alguma com o grupo BTS, também bombado mundialmente.

A empresa YGE, dona do grupo BlackPink, que está entre as três empresas de maior valor e tempo na indústria do pop coreano, sendo parte da chamada top3 das empresas, decidiu que iria debutar um grupo feminino a muito tempo. Seu primeiro sucesso feminino foi com o grupo que também bombou mundialmente, 2ne1, conhecido principalmente pela música I Am The Best, sendo um dos maiores hits das paradas LGBT por todo o mundo na época.

Bom, a empresa acertou uma vez na pitada na fama, não custava nada tentar novamente. E que golpe de sorte o velho conseguiu.

Investindo em uma batida mais tradicional de baladas, sem uma profundidade maior ou arriscando coisas novas, o produtor conseguiu encontrar a medida perfeita entre as características do pop coreano com o pop ocidental, foi assim que em 2018 estouraram definitivamente com a música Du Ddu Du Ddu, que atingiu um bilhão de visualizações no Youtube não muito tempo depois, se juntando ao PSY no grupo do um bilhão pelas famosas músicas Gangnam Style e Gentleman. Também bateram um bilhão de visualizações com Kill This Love.

A empresa investiu em garotas com uma característica de artista norte americana, em músicas parecidas, e, visualmente em uma integrante em específico, até promovendo um solo para que ela atraia novos fãs, lançar apenas uma música nova por ano e desaparecer novamente, isso te lembra alguém? Lembra, e como lembra.

Top 10 Anime Crossovers, Selena Gomez, Lady Gaga, Dua Lipa e Black Pink

Um ponto que foi de extrema importância para o crescimento delas foi a decisão de colaborações internacionais.

As músicas Kiss and Make Up e Sour Candy, Dua Lipa e Lady Gaga respectivamente, contam com a presença das garotas (diga-se de passagem, que bombaram no lançamento) e a mais recente é do próprio BlackPink, Ice Cream, contando com a participação da Selena Gomez, gerando uma grande quantidade de amor e ódio devido aos trocadilhos sexuais na música.

Embora essa jogada seja ótima para a empresa, que lucra mares de dinheiro a cada vez que as garotas lançam algo novo, para as meninas é um assunto completamente diferente.

Presas por um contrato como qualquer outro artista, elas não podem simplesmente colocarem na mesa tudo o que acontece por trás das câmeras e suas vontades, mas podem deixar subentendido algo em entrevistas, lives e vídeos promocionais.

A integrante Jennie, a face do grupo, já contou algumas vezes discretamente que ela também é compositora, que já fez várias músicas para o grupo, mas não levava os créditos; ela é dona de algumas (senão um pouco de todas) músicas do BlackPink, mas a empresa retira seu nome da produção.

O pai da integrante Rose confessou uma vez que, se pudesse voltar no tempo, no dia que sua filha contou que iria ser trainee na YGE para participar de um grupo futuramente, ele faria de tudo para impedir a garota ir.

Diz que sua filha não é mais a mesma, que está exausta e sem ânimo, a felicidade que ela deveria sentir por estar realizando o sonho de infância de ser parte de um grupo famoso, se transformou em um rosto aflito que nunca tinha autorização dos superiores para visitar a família na Nova Zelândia, sasaengs chegaram a fotografar Rose chorando no aeroporto quando foram fazer um show no país.

Também temos a integrante Lisa, que sofre diversos ataques principalmente pelos fãs ocidentais pela extrema magreza, mas ela sempre tenta deixar subentendido que não é culpa da dieta, e sim de seu metabolismo, já que em diversas fotos de sua infância ela sempre foi magra. E a integrante Jisoo… Está marcando presença, dificilmente a empresa a deixa falar muito, tanto que em músicas seu recorde costuma ser nove segundos.

Você já ouviu alguma música delas, vai por mim, e caso duvide da minha palavra, abra o Youtube ou o Spotify e pesquise por alguma das músicas citadas por aqui.

_____________________________________________________

Espectro Girl já perdeu as contas de quantas vezes já ouviu e dançou as músicas de BlackPink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *