Cosplay Jason Vorhees

Cosplayer: Leandro Toguro

Enquanto as outras crianças pediam de presente comandos em ação e bonequinhos dos Thundercats, Leandro Toguro queria ganhar um boneco do Jason, personagem da franquia de Slasher Movies Sexta-Feira 13. Cosplayer e fã de filmes de terror, ele faz três versões diferentes do assassino mascarado de Crystal Lake e na entrevista a seguir falamos sobre Sexta-feira 13, as melhores partes, os filmes mais assustadores e por que para sobreviver nos filmes de terror é preciso se manter longe de sexo e drogas.

Quanto custou o Cosplay: Como faço três variações do Jason, é difícil dizer, pois dois foi eu que fiz e um comprei em partes, que aliás, foi o da parte VII (créditos à Horror Costume Studios).

Quanto tempo demorou para fazer: Varia muito de qual versão estamos falando, o mais atual, do Mortal Kombat X, fiz em menos de uma semana.

O que mais deu trabalho para fazer: As roupas rasgadas, esfarrapadas e desgastadas do personagem das versões da parte VII e Freddy vs Jason.

Dicas para quem quiser fazer o Cosplay: Encare o cosplay como uma tatuagem; faça do personagem que você goste e divirta-se de montão. Se for fazer à trabalho, encare como um investimento que o retorno com certeza virá. Tente melhorar sempre, sem pisar e passar a perna em ninguém.

Não perca a cabeça com esse cosplay de Jason Vorhees

Super Ninguém: Você é fã de Slasher Movies como Sexta-feira 13 e Halloween? Se sim, quando começou o interesse por eles?

Leandro: Sou super apaixonado por estes filmes, coleciono todos, além dos action figures dos personagens deste fantástico universo do terror cinematográfico. Comecei a assistir quando tinha apenas seis anos de idade e, por incrível que pareça, nunca tive medo. Me recordo de quando criança, pedir para meus pais um boneco do Jason, mas infelizmente não existia.

Super Ninguém: Sexta-feira 13 provavelmente é a franquia mais famosa do gênero, com o seu auge nos anos 80. Apesar de Jason ser o conhecido assassino da série, se não me falha a memória, ele não aparece em dois dos filmes, o primeiro, em que a assassina é a mãe, e outro em que alguém se faz passar por Jason. O que você achou deles?

Leandro: A ideia do primeiro Sexta-feira 13 em que so no final era revelado quem matava, mostrando o real motivo da carnificina toda, foi interessante. Pamela surtou e começou a matar todos pela suposta morte do filho. O quinto filme da série, apesar de muitos não gostarem, eu até que curti porque as cenas das mortes foram bem criativas, à altura dos anteriores. Mostrava um cara que, assim como Pamela, surtou pela morte do filho (que era especial) e começou a matar todos do acampamento.

Super Ninguém: Por aqui gostamos de rankings, então que tal você participar de dois deles? Primeiro, quais seriam, na sua opinião, os três melhores filmes da franquia Sexta-feira 13?

Leandro: A parte III, VI e VII são minhas favoritas. Na parte III, a perseguição de Jason à Chris durou praticamente a metade do filme e ela foi uma das que mais deu “trabalho” para ele; ela o apunhalou na mão, o golpeou na nuca e também o enforcou. Foi sensacional. A parte VI foi a estréia do Jason “morto-vivo” que foi muito impactante; a cena dele despertando e saindo de dentro do caixão foi uma das melhore que vi em toda a franquia. Jason não era mais humano, não era mais aquele que conhecemos nos filmes anteriores que corria atrás das vítimas e também sentia os goles; ele virou uma espécie de super zumbi com força e resistência sobre humanas. A parte VII, o que mais me chamou a atenção foi o visual do Jason, todo podre, com carne em decomposição e com os ossos à mostra, além da máscara quebrada mostrando os dentes dele. Quando o rosto dele é revelado, a expressão de raiva no olhar e dos movimentos do rosto, passa exatamente aquilo que queremos ver em um personagem de terror.

Ufa, que susto, é só o Jason, pensei que fosse outro candidato a vereador pedindo votos

Super Ninguém: E os três filmes de terror ou suspense mais assustadores que você já assistiu?

Leandro: Os três que acho mais assustadores são:

1 – O primeiro filme da franquia Hellraiser, a caixa que invocava os demônios cenobitas que rasgavam o corpo de suas vítimas com ganchos e correntes foi assustador demais.

2 – O primeiro filme da franquia A Hora do Pesadelo, a ideia de uma assassino que ataca nos sonhos foi bem assustadora.

3 – O primeiro filme da franquia O Massacre da Serra Elétrica, por ser baseado em fatos reais e que mostrava uma família de canibais, foi bem assustador.

Super Ninguém: Jason, assim como Michael Myers em Halloween, parece ter algo contra jovens que estejam praticando sexo casual. Qual você acha que é a razão para tanto ódio de quem abandona a virgindade?

Leandro: Jason é como se fosse uma espécie de punidor de pecadores, aliás, na HQ “A História de Pamela e no filme Freddy vs Jason”, eles explicam um pouco sobre isso, na cena onde Freddy entre na mente dele. No acampamento, as crianças o maltratavam e zombavam da aparência de Jason, o chamando de aberração. Até que chegou o dia em que elas o jogaram no Lago Crystal Lake e, por negligência dos monitores do acampamento (que eram adolescentes “à flor da pele”), que ao invés de estar cuidando das crianças, estavam bebendo, usando drogas e fazendo sexo, não o socorreram e ele supostamente se afogou. No universo Sexta-feira 13, a regra para não morrer é bem simples, evitar bebidas alcóolicas, drogas e sexo.

Super Ninguém: Por mais que alguém corra, e Jason apenas ande, ele sempre alcança a vítima. Como ele faz isso? Se eu andar, ao invés de correr, eu tenho mais chances de escapar vivo?

Leandro: Além de ser um morto-vivo, Jason é como se fosse uma assombração que pode aparecer repentinamente em qualquer lugar. Na parte VIII, os produtores exploram bastante isso (destaque para a cena da guitarra, kkkkk…); tem uma cena interessante, onde Jason persegue uma garota oriental, até uma pista de dança dentro de um navio. Em todas as direções que ela olha, ele está, até que de repente, ele desaparece e depois reaparece pelas costas dela e à enforca. No filme “Jason vai para o Inferno”, bem no começo onde ele persegue uma policial, tem um take bem rápido com Jason dentro de uma casa. A distância da janela para a porta é de uns 10 metros e quando ele passa em frente à esta janela, em um passe de mágica já aparece na frente da porta. No game “Mortal Kombat X, revelaram abertamente ele se teleportando em meio à névoa.

Até o Jason usa máscara e você aí se arriscando no meio da pandemia de Covid.

Super Ninguém: Por que, afinal de contas, os jovens nesses filmes, mesmo depois de ver que há um assassino a solta, insistem em sair da cabana?

Leandro: Dentro da cabana a chance de serem mortos é bem maior, porque não tem para onde correr, kkkkk…Posso dizer que nestes filmes é necessário ter cenas de perseguição para ter mais audiência.

Super Ninguém: Quando você aparece nos eventos vestido de Jason, qual é a reação das pessoas?

Leandro: Pessoal em geral adora. É incrível ver como que um personagem icônico dos anos 80, continha sendo tão querido e fazendo sucesso nos dias de hoje.

Super Ninguém: Além de Jason, você faz outros cosplays de personagens de filmes de terror? Quais?

Leandro: Para falar a verdade, faço vários de terror. Além das três versões do Jason, faço duas versões do Freddy Krueger, Ghost face, Michael Myers, Pinhead e também o Predador (que é mais ficção do que terror).

Super Ninguém: Qual é a importância que o universo cosplay tem na sua vida?

Leandro: O universo cosplay é uma coisa muito gratificante em minha vida e que me abriu muitas portas. Antes era só por hobby, mas de seis anos para cá virou trabalho e minha principal fonte de renda. Além de trabalhar com o cosplay nas ruas, trabalho muito em festas e eventos em geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *