O Vale Nerd – Especial de Natal – “Porta dos Fundos” não sabe o que é Natal

Por Everton Nucci

Olá todo mundo, bem vindes ao vale! Eu sou Everton Nucci e esse é o especial de Natal do “Vale Nerd” e o presente do Fernando é um descanso para os olhos com uma matéria muito mais curta do que o habitual para ele editar. Então é hora de ir ao supermercado comprar aquele panetone de frutas cristalizadas, colocar Simone no aparelho de som, assistir “Esqueceram de Mim”, Roberto Carlos e todos os especiais de natal que forem possíveis.

Bom, na verdade, a pandemia não tem permitido ir muito ao mercado, mas tudo bem (eu nem gosto de frutas cristalizadas). E parece que não tem “Roberto Carlos” esse ano e vou parar por aqui antes que eu descubra que o “Kevin McCallister” também não vai aparecer.

Nota da Administração: O Especial de Natal de Roberto Carlos foi de fato cancelado em 2020, mas o cantor irá gravar uma mensagem para ser exibida no início e no fim da reprise do show que ele fez em Jerusalém no ano de 2011.

Especial de Natal da Porta dos Fundos “Se Beber não Ceie” exibido na Netflix em 2018

Outra tradição natalina que tem se firmado nos últimos anos é o especial do “Porta dos Fundos”, o grupo de humor que começou no YouTube viralizando com vídeos como “Na lata”, “Rola” e “Essa é pra você”. Você com certeza ouviu falar dos especiais de natal do grupo. Pela qualidade? Não, pelas polêmicas!

Se voltarmos um pouco no tempo, poderemos ver um dos vídeos virais do canal: “Deus”. Nele a personagem descobre que irá para o inferno pois andou adorando o deus errado enquanto estava viva (triste). Obviamente o vídeo causou polêmica, virou notícia e… gerou audiência. E se querem a minha opinião com zero embasamentos cronológico, científico ou estatístico eu diria que esse foi o momento em que o grupo notou que havia uma maneira muito fácil de obter publicidade grátis: fazer piadas com religião.

O canal já foi o maior do Brasil, e para se manter relevante, volta e meia o grupo recorria às piadas religiosas, virava notícia, e ganhava audiência – essa é a minha impressão totalmente pessoal sem nenhum embasamento fatídico.

A estratégia chegou aos especiais de Natal, e para simplificar eu vou me focar nas produções dos três últimos anos: os dois especiais da Netflix “Se beber, não ceie”, “A primeira tentação de Cristo” e o especial de 2020 do YouTube “Teocracia em vertigem”.

Tratam-se de, em ordem: “Uma sátira sobre a ressaca dos apóstolos após a última ceia”, “Uma sátira sobre a vida de Cristo aos 30 anos”. “Uma sátira sobre os eventos ocorridos após a morte de Cristo”.

Especial de Natal do Porta dos Fundos exibido na Netflix, “A Primeira Tentação de Cristo” em 2019

Vamos analisar uma coisa aqui. Segundo a tradição cristã, no Natal comemora-se o nascimento de Jesus Cristo. Eis que lhes pergunto: por que raios eles estão falando de tudo, menos do nascimento? O “Porta dos Fundos” não sabe o que é Natal?

Querem saber minha opinião sobre o assunto? (Obviamente não, ninguém se importa, mas direi mesmo assim) O especial desse ano é engraçado para quem gosta de humor político, o do ano retrasado é engraçado para quem gosta de humor ácido e o do ano passado é bem sem graça.

E já que estamos no “Vale Nerd”, vamos falar da polêmica do ano passado, retrataram Jesus como uma personagem gay, obviamente isso gerou notícia. Mas eu realmente gostaria de pedir a todos aqueles que protestaram contra essa “heresia” para que assistam ao especial da Netflix do ano passado. O motivo é simples, quem assistiu viu que Jesus é uma personagem cheia de bondade ao passo que Deus é um cara bem sacana que chifrou José com Maria e continuou dando em cima dela. Para completar, o suposto “namorado” de Cristo é na verdade Lúcifer disfarçado.

Ou seja, se todos os seres raivosos que foram protestar na internet contra o “Jesus Gay” tivessem prestado um pouquinho de atenção, teriam visto o quanto estavam sendo manipulados, pois a verdadeira crítica do grupo era ao símbolo máximo dos religiosos, que é Deus. Independente da sexualidade, o filho de Deus é retratado como uma pessoa boa. Digo até mais, retratam ele como uma pessoa humana e cheia de dúvidas mas que ainda assim escolhe fazer o bem, ou seja, retrataram ele como um exemplo a ser seguido. Mas a LGBTQfobia de quem protestou foi tão grande que eles sequer conseguiram enxergar o fato. Vou mais longe, digo que – por um ponto de vista específico – dá para usar o especial para afirmar que foi Lúcifer quem fez Jesus “virar gay”.

Especial de Natal do Porta dos Fundos, “Teocracia em Vertigem”, exibido apenas no Youtube

Na minha opinião o grupo, mais uma vez, brincou com a audiência e usou da psicologia reversa para manipular a opinião pública, principalmente os cristãos, e tecer uma crítica que passou incólume enquanto fazia todos os fanáticos atirarem pedras em uma pessoa de bom coração. Em outras palavras, fez todo mundo de trouxa.

E se você quiser conversar comigo, falar sobre o seu filme de Natal preferido (o do Fernando é “Duro de Matar”). Mande seu e-mail para contato@superninguem.com.br, ou deixe seu comentário logo abaixo.

E a dica do dia é saia da TV mande um abraço para sua família enquanto ainda podemos. Mas mantenha a distância para que em 2021 possamos dar abraços de verdade em quem amamos . Por hoje é só, obrigado por lerem essa coluna, continuem acessando o site e fiquem em paz!

__________________________________________________________

Everton Nucci é tecnólogo por formação, servidor público por opção, ator por paixão, escritor fanfarrão, foi um bom menino este ano, mas não vai receber presente porque o Papai Noel é grupo de risco.

6 Comments

  1. Will Nygma disse:

    Bom, acho q o grande acerto de fato desta matéria é qdo o autor diz: “essa é a minha impressão totalmente pessoal sem nenhum embasamento fatídico.”

    Primeiro dizer q o “Porta dos Fundos” não sabe o que é Natal? Vamos lá. Acho q pra algum embasamento nesse sentido precisa ñ apenas ter a mente mais aberta, como ñ se sentir ofendido pelo humor (ácido sim) do grupo e achar “bem sem graça” também vai de cada um. Quem entende a piada e tem a mente mais aberta pode achar e muito engraçado (eu e a maioria de meus amigos, religiosos ou ñ, achamos muito engraçado, conheço poucos q se ofenderam e em sua maioria nem assistiram todo antes de criticar)

    Agora o fato do quanto estavam sendo manipulados, pois a verdadeira crítica do grupo era ao símbolo máximo dos religiosos, que é Deus, em um especial q foi malhado pelos religiosos e até processo aconteceu pois INSINUAM apenas q Jesus fosse gay… sim, ñ foi nada explícito. É a velha história q todo gay as vezes passa qdo seu amigo “hetero” ou ñ, leva seu amiguinho mais efeminado em sua casa e ele ñ sabe esconder este fato e fica dando pinta e fala o q ñ precisa ser dito na frente dos familiares. Ou seja, uma tremenda piada pronta para se insinuar coisas, afinal este é o propósito do humor, alfinetar e fazer graça (mesmo q nem todos achem graça). E a maioria ñ entendeu a piada porq fere a TRADICIONAL FAMILIA BRASILEIRA e toda sua hipocrisia e falsa moralidade cristã.

    “Em outras palavras, fez todo mundo de trouxa”… será? Acho q na verdade esse era o propósito de mostrar a verdadeira faxe da hipocrisia de nossa sociedade, pois ao invés de ficarem bravos com a concepção exacerbado de um Deus mulherengo, se afetaram por um Jesus extremamente humano e bondoso, atacando pedras no coitado simplesmente pelo fato de se insinuar q sua sexualidade era diferente do q a maioria dos MORALISTAS E MACHISTAS pregam, e isso ofende a honra, mas o Deus q come geral ñ tem problema. Viu onde nora a grande hipocrisia? Então, Ponto positivo de novo, eles acertam em cheio e a sociedade se mostra estúpida, preconceituosa e arrogante assim cono qdo Cristo foi crucificado.

    Na matéria tambem se diz q foi Lúcifer quem fez Jesus “virar gay”. Outro pensamento arcaico e tendencioso, afinal, ninguém faz ninguém “virar” isso ou aquilo, ser gay ñ q que nem virar um Power Ranger, a pessoa se transforma do nada por forças externas. Ou a pessoa tem tendência ou ela ñ tem. É libido, tesão, gosto, instinto ou seja lá do q chamem. Ñ se influencia alguém a ser gay, ou ela é, ou ela ñ é.

    Qto a crítica q eles fazem, são totalmente chacotas de fatos q são ironizados com piadas obviamente, mas q dizem muito mais de nossa realidade em uma análise muito mais realista q a propria história q a meu ver já são piadas prontas. Eles apenas encancaram o q já esta sendo dito ali. A bíblia é a meu ver um excelente livro de metaforas e parábolas, mas q ñ condizem com a realidade. E isso, incomoda qdo alguém mostra e analisa isso como eles fazem, pois se fosse uma bobagem, ñ se incomodariam tanto.

  2. Pedroom Lanne disse:

    Eu concordo com o Fernando, prefiro “Duro de Matar” do que esse humor do Porta dos Fundos, pois não me faz rir.

    Sobre o post, eu penso que: O ponto chave dessa matéria, diria eu, é que os críticos religiosos são incapazes de perceber que, apesar da sátira contida nesses especiais, no fundo, eles reafirmam os ideais cristãos. Se os crentes fossem capazes de perceber isso, não fariam polêmica sobre os programas e, talvez, eles nem fizessem tanto sucesso assim para que o grupo repetisse a dose todo ano.

    • Everton Nucci disse:

      Olá Pedro, obrigado por ler a matéria continue acessando o site.
      Duro de Matar é um clássico!

  3. Julie Any disse:

    Matéria sensacional, parabéns 👏🏼👏🏼👏🏼

  4. Everton Nucci disse:

    Olá Will, muito obrigado por ler a matéria. Continue acessando o site.
    Desculpa se eu não fui suficientemente claro. Pelo seu comentário dá a impressão de que minha matéria está criticando o grupo, quando minha impressão é justamente o oposto.
    A coisa do “Não sabe o que é natal” é uma piada com o fato dos especiais não se passarem no natal mas em outros momentos da história bíblica.
    O fato de eu achar o especial “sem graça” é realmente pessoal, os outros dois me fizeram rir bastante mas esse em particular não me pegou, humor é assim mesmo.
    Com relação ao Jesus gay e o Deus mulherengo o que você fala é basicamente a mesma coisa que eu tentei falar na matéria mas aparentemente não obtive o sucesso desejado, mil perdões.
    Agora com relação ao fato de Lúcifer fazer Jesus “virar gay” eu tenho que discordar pois não foi isso que eu disse. Na verdade o que eu disse é que o especial pode ser usado para isso, pois muitos religiosos insistem nessa ideia de que homossexualidade é “coisa do capeta” e quando o especial mostra ele “namorando” justamente o capeta isso dá uma arma nas mãos daqueles que adoram esse argumento.
    Resumidamente, eu gosto muito do humor do Porta e a minha crítica é para dizer que o fato de haver um “Jesus Gay” no especial cegou o público radical para todo o resto do conteúdo. Só isso.
    Mais uma vez, desculpa por não ter sido suficientemente claro no texto. Tentarei trabalhar melhor nos próximos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *