Invencível – Temporada 01, Ep. 03: Quem você chamou de feia?

Por Fernando Fontana

Já foi dito e repetido a exaustão que um bom vilão é meio caminho para uma boa trama, que o digam Darth Vader, Coringa e Joffrey Baratheon. Em Invencível, esse papel é muito bem desempenhado por Nolan Grayson, mais conhecido como Omini-Man (J. K. Simmons).

Além de sua postura arrogante, autoritária e insensível, o que o torna tão odiável como vilão é o fato de ter massacrado a maior equipe de super-heróis do planeta, se passar por vítima, e ainda ser visto como o maior herói e esperança do planeta Terra. Seu falso discurso comovente no funeral que abre o terceiro episódio da animação, elogiando os heróis caídos em combate, para logo depois, em casa, pedir pizza, como se nada tivesse ocorrido, só exacerba esse sentimento.

Vale mencionar que, ao contrário de histórias como “A Morte do Superman”, onde o Kryptoniano foi enterrado em local de conhecimento público, o que permitiu que seu corpo fosse roubado mais de uma vez, aqui, as autoridades tomam a decisão acertada de enterrar os guardiões globais em local secreto, evitando assim caçadores de relíquias ou vilões.

Eve Atômica e Invencível em suas identidades civis durante o enterro dos Guardiões Globais

Novamente, a forte diferença entre pai e filho fica evidente, Mark sente a morte dos Guardiões e resume bem o sentimento de impotência diante da perda do grupo: “Se aconteceu com os Guardiões, nenhum de nós é Invencível”.

Cecil Steadman (Walton Goggins) precisa urgentemente juntar super-heróis para formar os novos Guardiões Globais, uma vez que não pode contar com Omini-Man, que jamais aceitou receber ordens diretamente do governo, e ao mesmo tempo está sendo secretamente investigado pelo assassinato dos Guardiões Originais, por Cecil e paralelamente por Damien Darkblood (Clancy Brown), o detetive demônio.

O encarregado do comando e escolha dos membros é Robô (Zachary Quinto), que já comandava a Tropa Jovem, vista no episódio anterior, e assim como a própria Tropa, a nova formação soa absurdamente mais fraca que os antigos Guardiões, pelos poderes, pela falta de treinamento e pela personalidade dos heróis, em especial de Rex Splode (Jason Mantzoukas), que fala e age como um completo babaca, incluindo aí trair sua namorada, Eve Atômica (Gillian Jacobs) com Dupli-Kate (Melise), cujos poderes tem óbvias vantagens na hora do sexo.

A traição de Rex causa o rompimento com Eve, e a aproxima mais de Invencível (Steven Yeun), que ao mesmo tempo, engata um início de romance com Amber (Zazie Beetz), sua colega de escola. Essa espécie de triângulo amoroso deve estar presente nos próximos episódios, com os problemas típicos de um herói tentando esconder sua identidade secreta, o que já vemos em “Quem Você Chamou de Feia”, quando Mark precisa abandonar os estudos para enfrentar um vilão junto com Eve.

Invencível e Eve Atômica, juntos para enfrentar o Doutor Sísmico no episódio 3 da animação

Interessante que, apesar de um romance com Eve ser muito mais simples para Mark, já que ambos conhecem a identidade secreta um do outro, é com Amber que ele se aproxima, sequer cogitando algo mais entre ele e a super-heroína.

A nova namorada pode não ter super poderes, mas possui uma personalidade forte, talvez mais forte do que a própria Eve, não fazendo o gênero namorada indefesa.

Por fim, a atitude de Robô ao soltar da prisão os gêmeos Mauler (Kevin Richardson), vilões que vimos no episódio 1, tentando invadir a Casa Branca e sendo derrotados pelos Guardiões e por Omini-Man, deixa inúmeros pontos de interrogação. Por que ele fez isso? Ele é confiável? Está a serviço de algum vilão?

Perguntas para as quais só teremos respostas nos próximos episódios, mas que vão tornando a trama mais complexa e por isso mesmo, mais interessante.

________________________________________________________________

Fernando Fontana é escritor e adulto amador, autor de “Deus, o diabo e os super-heróis no País da Corrupção” e da Graphic Novel “O Triste Destino da Namorada do Ultra Homem”, é criador deste site e colaborador do Canal Metalinguagem, onde escreve sobre filmes e quadrinhos antigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *