Hyouka, mistérios e olhos lilases

Por Espectro Girl

“Torne-se mais forte. Se você for fraco, um dia você nem será capaz de gritar. Nesse caso, você vai viver como um cadáver. Assim como eu.”. Essa é uma frase que assombra todos os fãs de Hyouka, e hoje, o convidado a ser assombrado é você.

Originalmente sendo o primeiro volume de uma série literária de seis partes escritas por Honobu Yonozewa, o livro que leva o nome da série animada, Hyouka (Hyōka), engana sem dó aqueles que vão atrás do anime buscando romance e personagens carinhosos (como foi o meu caso), pois o romance tão aguardado não é nem de longe o foco principal de toda a trama.

Iniciado em 2012, o anime começa contando as reclamações e visões de Houtarou Oreki sobre a vida no ensino médio, e explica para seu melhor amigo, Satoshi Fukube, que só está entrando no clube de literatura clássica a pedido de sua irmã mais velha que está na Índia. Ele tem seus reclamos por não enxergar aquela fase da vida como as mil maravilhas cor-de-rosa que todos dizem ser.

Frustrado por não poder recusar o pedido da irmã, o rapaz vai até o local onde o clube se localiza, no fim do mundo daquele colégio, diga-se de passagem, e destranca a porta para conhecer o lugar que passaria a ser seu esconderijo.

Houtarou, priorizando a conservação de energia

Bom, estaria tudo bem se já não tivesse uma garota dentro daquela sala que estava trancada até sua chegada.

Por um instante senti meu coração parar de bater, jurei por tudo que aquela garota era um fantasma e agora o rapaz devia sua alma a ela, mas podem ficar tranquilos que não foi dessa vez que caímos no conto de uma personagem fantasma.

A garota foi apenas distraída o suficiente para não notar a porta destrancada quando entrou e alguém a trancar após sua entrada.

Chitanda convencendo Houtarou a descobrir o mistério da porta

Como já nos é apresentado desde o início, Houtarou é um rapaz apático que prioriza a conservação de energia e tempo acima de tudo, portanto deixou a questão de como a garota conseguiu tal proeza, querendo apenas fazer suas coisas em paz, mas o problema foi a curiosidade da garota ser aguçada.

Com seus olhos lilases, o garoto sente-se ameaçado e hipnotizado pelo pedido da garota, seu anseio para resolver aquele caso contaminou o rapaz que se viu em uma rua sem saída. Os olhos curiosos de Eru Chitanda eram um caminho sem volta.

Agora o clube de literatura clássica veio acidentalmente a se tornar um clube de detetives, Satoshi acaba se juntando à equipe antes de Ibara, uma garota que encontrou o grupo na biblioteca atrás de antologias.

“Hyouka” é o título de uma antologia que o tio de Chitanda possuía em sua residência, era a última memória que ela tinha com ele antes d’ele desaparecer. Havia algo nesse título, a garota tinha certeza disso, pois sua última lembrança foi de perguntar ao seu parente o significado da palavra, ele hesitar em responder e logo em seguida ela começar a chorar em medo.

A história do clube de literatura clássica é muito envolvente, você rapidamente se apega ao quarteto composto por um antissocial, uma curiosa de olhos lilases, um competitivo incontrolável e uma irritada com meio metro de altura. Quando passamos a descobrir o que aquele clube já relatou em antologias anteriores, quem foi o tio de Chitanda e a razão de ela ter chorado ao descobrir o significado da palavra que, para Houtarou, chegou a ser estúpido o tanto que ele demorou para notar um mero jogo de palavras.

O anime é um “slice of life”, traduzido literalmente como “pedaço de vida”. É um daqueles típicos animes onde ocorrem acontecimentos e relacionamentos cotidianos, não tem nada de fantástico ou sobrenatural, somos apenas nós, meros telespectadores, acompanhando a trajetória de vida de um ou mais personagens.

Embora as imagens soltas pela rede deixem a entender que é um anime de romance, todos os seus episódios são cercados pelo mistério e pela história do clube, vez ou outra nos arrancando risadas das bobagens de Satoshi ou do desastre ambulante que Chitanda costuma ser.

Chitanda, Ibara, Houtarou e Satoshi respectivamente

Para a felicidade de alguns e infelicidade do restante, esse anime possui um tão temido e apavorante live-action. Surpresa, o filme é incrível!

O roteirista está de parabéns, além de todos os acontecimentos estarem em ordem e com as falas praticamente idênticas ao anime, o mistério de “Hyouka” ficou ainda mais bem explicado do que na animação. Os atores bem articulados e flashbacks claros sobre o que está sendo contado, o arco apresentado se contentou em apresentar apenas o principal da história, com seu significado e foco original, sem se perder muito no cotidiano ou em relacionamentos amorosos que podem ou não acontecer.

Espectro Girl autorizou você a assistir esse live action.

E assim, você já tem uma base para conhecer Hyouka mais a fundo, aprender mais sobre esse quarteto que adora procurar pelo em ovo e como aquela primeira frase da matéria tem relação com a palavra que carrega o nome do anime.

___________________________________________________________________

Espectro Girl sempre acha que tem uma personagem fantasma em salas fechadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *